Aracnophobia – IV

Posted: Maio 3, 2011 in Uncategorized

Aracnophobia - IV

No pico da Foia, junto das vias aprendizagem de escalada. Há lugar para mais alguma coisa lá, particularmente uma travessia que parecia engraçada mas tem de ser limpo.

Anúncios

Novo spot – Picos (Marmelete)

Posted: Fevereiro 15, 2011 in Uncategorized

Foi identificado um novo spot com linhas viáveis em Picos (um pouco antes de chegar a Marmelete).  O sitio chama-se Picos mesmo por ter dois cumes de pedra. Até agora ainda só foi visto com mais cuidado o pico do Miradouro que tem estrada/caminho pedestre até lá. O outro pico vai ser preciso desbravar mato até lá!

No Miradouro há duas paredes de cerca de 2,5 – 3m. A 1ª (nas fotos) tem um muito ligeiro extraprumo e montes de presas. A 2ª, ainda só olhamos á distância (tem balsas á frente, mas facilmente limpa se)  é uma proa extrapromada bonitissima com aspecto de não ter lá muito para agarrar! 😛

Tas ai Pablo? - IV (standing start)

 

Abrimos duas vias na ordem de IV grau soft, e há lá espaço para mais umas duas ou três. A queda é manhosa, dá jeito uns quantos crash e um spotter decente. A proa tem terra plana por baixo e parece ser de queda tranquila.

Don't cheat! - IV

Bring more pads! - proj. - IV/V (?)

Titans@Monchique

Posted: Novembro 22, 2010 in first ascent

O seguinte texto vem de um comment deixado pelo Diogo noutro post:

Olá a todos,

Ontem (21-11-2010) foi eu o Nuno, Tamara e Bruno até Monchique à procura de blocos. É com muito agrado que digo que temos brinquedo!

Segui as indicações do Rui Toica, desde Monchique até ao restaurante Jardim das Oliveiras. Seguindo a estrada desde o restaurante para o alto da Foia, ai a 1 km vê-se um bloco ENORME à beira da estrada do lado esquerdo. O bloco parece um menir de 8m de altura.

Parámos o carro uns metros à frente ao lado de uns blocos à nossa direita. Ao espreitar para trás desses blocos pequenos à beira da estrada vimos que no meio dos sobreiros haviam mais blocos!

Fomos descendo até aos blocos e vimos que como o terreno é inclinado os blocos parecem pequenos vistos de cima, mas ao chegar à parte de baixo é que dá para ver bem o tamanho deles!

Limpámos 15 linhas. 4 deles ainda têm de ser mais bem limpos, estava muita humidade e não deu para limpar a zona intermédia desses blocos.

Encadeamos 7 blocos: IV, IV, IV+, V, 6a, 6a+, 6b. Os restantes blocos limpos que não foram encadeados devido à quantidade de musgo (parecem presépios!) têm de secar melhor, levar uma nova esfrega e depois é encadear!

Os graus dos que faltam limpar melhor vão variar entre 6b a 7b/b+. Estes blocos estão todos no mesmo boulder. É o bloco mais alto do sector (6m!)

Na zona à muito potencial e muito para limpar, por isso se quizerem lá ir de escovas de aço, vassoura, catana e muito pó são bem vindos.

Penso que fizemos metade do que dá para fazer… E o potencial em grau é enorme desde muito fácil a muito duro.

A rocha é muito boa, deu para blocar 6 horas e ficar com pele!

No final do dia encontrámos um BIG one! que fai fazer com que a malta fanática lá volte!

Para finalizar, levem muitos crash pads e um bom spoter! As quedas são limpas, mas os blocos bons têm saidas delicadas e são altos (de 4m a 6m!!!!). Bora aí apertar?

Abraço Diogo

Pelo que percebo, penso que ele esta a referir a este local: https://monchiqueboulder.files.wordpress.com/2010/08/dscf3734.jpg

Edit: Vejam os comentários para uma descrição mais detalhada pelo Diogo.

Nos ‘calitros

Posted: Outubro 23, 2010 in first ascent
Etiquetas:

Nos 'calitros (projecto - V?/6a?)

Nos ‘calitros – (A e B) -V?

Mais um calhau marcado. Aptamente denominada de “nos ‘calitros”. A foto não é muito representativa, mas é a unica que tenho á mão.  Duas linhas feitas até á data. Uma ligeiramente á direita da foto com  inicio sentado. O segundo que está na foto, com uns movimentos engraçados (pequeno dinamico a partir de aplats para uma pequena quina f#&%$ pra ponta dos dedos, até outro aplat).  Hoje tentamos juntar as duas linhas, transitando da direita para a esquerda, mas não foi desta!

p.s.: raio do granito é lixado na pele dos dedos!

O final do dia 29 de Agosto viu dois moçoilos, todos partidos de três dias de caminhar no mato e experimentar problemas novos (e a aguardente á noite também não ajudou muito), a voltar a um dos primeiros blocos que encontraram por estas bandas.

Nas imediações existe 4 ou 5 blocos com potencial para se fazer qualquer coisita. Infelizmente, a maioria está rodeada de balsas e num caso de um monte de lixo (lastimável!). Esperamos no futuro falar com o proprietário (e quem sabe, talvez a CM?*hint*hint*) para se proceder a uma limpeza desta zona.

Entretanto, voltando aos nossos intrépidos projectos de escaladores: rapidamente repetimos a via ao qual tínhamos dado o nome de Pinks Problem, uma via bastante simples e que serve bem de aquecimento. De seguida, apesar de todos rebentados do fim de semana, fizemos-nos à segunda via que se encontra no mesmo bloco. Esta via foi originalmente proposta por um colega de Portimão (edit: O Rui de Portimão), mas o passo fundamental para a fazer tinha nos iludido até á data.

E não é que o Pablo a faz na primeira tentativa? É curioso, apesar de já termos levado ali algum tempo a tentar sem nunca ver como a fazer, chegamos lá umas semanas depois e a solução é óbvia (pelo menos para ele :p).

Pinks Problem à direita + (sem nome) à esquerda

Inicios

Posted: Agosto 29, 2010 in inicios
Etiquetas:

Bem-vindo camaradas!

Este é um pequeno projecto (hobby?) iniciado por um grupo de amigos que cresceu na Serra de Monchique (Algarve) e que em tempos recentes se aventuram pelo mundo das arestas, dos blocos, dos crimps e dynos. Com o âmbito de ajudar a dar a conhecer as potencialidades escondidas aqui no meio da Serra, propomos juntar aqui neste espaço um registo e descrição daquelas que vamos descobrindo e assim estimular outros a cá virem experimentar!

This is small project (hobby?) begun by a small group of friends who grew up and live in the Serra de Monchique (Algarve, southern Portugal) and who have recently ventured into the wonderfull world of aretes, blocs, crimps and dynos. Although the amount and quality of the problems here does not compare to those found in other places in Portugal, like Sintra and further North, we hope to show the potential that does exist hidden away in the forests and hills of the Serra. Hopefully we will stimulate you into coming and giving them a go sometime!

Allée!